Saúde adquire 5,5 milhões de comprimidos para tratar diabetes

Já armazenado no galpão de medicamentos da Secretaria de Saúde, o Glicazida 60mg começa a ser distribuído na quinta-feira (26), nas unidades básicas de saúde (UBS) de todo o DF | Foto: Breno Esaki / SES

Em falta desde agosto do ano passado nos depósitos centrais da Secretaria de Saúde (SES), o medicamento Gliclazida 60mg, necessário para o tratamento da diabetes, finalmente chegou. A primeira remessa, com aproximadamente 5,5 milhões de comprimidos, já se encontra disponível na secretaria. Mais entregas serão feitas ao longo dos meses, para abastecer a rede pública de saúde até o próximo ano.

Os remédios foram armazenados no galpão da pasta que abastece toda a rede de Atenção Básica de Saúde do Distrito Federal.  A partir desta quinta-feira (26), as unidades básicas de saúde (UBS) de todo o DF começam a receber o Gliclazida 60mg para, então, dispensarem à população.

“Os processos da secretaria têm evoluído muito, no sentido de garantir dignidade aos pacientes, incluindo os diabéticos, e esse medicamento supre toda a rede de Atenção Básica para as cerca de 600 equipes de Saúde da Família do DF”, destacou o secretário de Saúde, Francisco Araújo, durante inspeção feita no galpão para da SES. “Faremos sempre essas visitas, para que seja assegurado o abastecimento e, assim, a secretaria garanta saúde de qualidade na Atenção Básica.”

O secretário também lembrou que outras medidas já têm sido adotadas para reforçar os atendimentos e serviços ofertados. “Nos próximos dias, estaremos consistindo mais de 100 equipes de saúde que não estavam completas em regiões como Ceilândia, que ganharão novos médicos”, disse. “O fortalecimento da Atenção Básica, porta de entrada dos usuários na rede pública, é a grande solução para o sistema de saúde do DF”.

Abastecimento

A subsecretária de Logística da Secretaria de Saúde, Mariana Rodrigues, explica que novos pedidos têm sido feitos para abastecer o estoque de medicamentos voltados a diabéticos e demais pacientes com doenças crônicas.

“A ideia é que, em vez de entregar medicamentos para eles utilizarem ao longo de um mês, seja entregue o suficiente para dois a três meses”, relatou. “Para isso, precisamos ter o estoque bem abastecido. Estamos fazendo novos pedidos e recebendo mais material, para que os pacientes não precisem retornar às unidades com tanta frequência.”

Além disso, a SES também aprovou uma circular para prorrogar a validade das receitas médicas, como a da Gliclazida, para até 240 dias. “Nesse período, os usuários não precisam voltar no médico para renovar a prescrição”, explicou a subsecretária.

Os pacientes diabéticos que necessitam da Gliclazida 60mg devem buscar o remédio na UBS mais próxima de suas residências. Eles precisam levar uma prescrição médica válida, o cartão de Saúde e um documento de identidade.

Fitas glicêmicas

Nesta semana também chegaram ao estoque da Atenção Básica de Saúde 2.746.350 unidades de fitas glicêmicas para uso domiciliar de pacientes diabéticos. Os insumos já estão disponíveis nas UBS para a população.

“Com as fitas, mais a Gliclazida, abastecemos a rede para esses pacientes terem a assistência adequada. Já estamos também com um novo processo em andamento, para que, até o fim deste ano, continuemos as compras sem interrupções”, informou a diretora de Logística da SES, Manuela Leite.

Com informações da SES

Outras matérias

Solidariedade:Grupo de motociclistas doa sabonetes para campanha solidária da Caesb

A união de motociclistas do Distrito Federal vai ajudar no combate à pandemia do novo coronavírus. O grupo Loucos do Cerrado doou 1.000 sabonetes para reforçar a campanha solidária da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) que, desde maio, arrecada itens de higiene pessoal para ajudar famílias e instituições em situação de vulnerabilidade social. […]

CLDF: Administração pública deve criar mecanismos para combater nepotismo

Projeto do deputado José Gomes prevê banco de dados que ajude no cruzamento de informações para evitar prática Para facilitar o combate ao nepotismo, tramita na Câmara Legislativa do Distrito Federal o Projeto de Lei 956/2020, de autoria do deputado José Gomes (PSB) que cria mecanismo para evitar esse tipo de contratação e que foi […]