Professores aprendem abordagem para Novo Ensino Médio

Escolas-piloto do DF participam de palestras e oficinas sobre a método Steam, acrônimo em inglês para designar cinco áreas do conhecimento: Ciências, Tecnologia, Engenharia, Matemática e Arte

Professores das cinco escolas-piloto do Novo Ensino Médio participam de formação | Foto: Luis Tavares / Secretaria de Educação

Da cartilha popular Caminho Suave ao uso das tecnologias de informação e comunicação (TICs), a maneira como os estudantes aprendem tem evoluído diariamente. Para acompanhar os avanços e aprender sobre o Novo Ensino Médio, 80 professores da rede pública de ensino do Distrito Federal participam, até esta terça-feira (19), do Steam TechCamp DF, no Makerspace da Casa Thomas Jefferson.

A iniciativa reúne professores das cinco unidades escolares que vão implantar o Novo Ensino Médio em 2020. A programação contempla a abordagem Steam, acrônimo em inglês para designar cinco áreas do conhecimento: Ciências, Tecnologia, Engenharia, Matemática e Arte.

Com a reorganização do ensino médio, o estudante tem um papel de protagonista no processo educacional. Há também uma ênfase no uso de metodologias ativas que possam unir o interesse dos jovens às necessidades pedagógicas. Nesse sentido, a abordagem contribui para o novo cenário educacional.

Na visão do diretor do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação do DF (SEEDF), Fernando Wirthmann, a formação – que é fruto de um edital submetido à Embaixada dos Estados Unidos – terá papel importante no novo modelo de ensino. “A Steam capacita os professores a produzirem coletivamente unidades curriculares eletivas que serão ofertadas no Novo Ensino Médio”, destaca.

Para um novo tempo, um novo ensino

Diretor do Ensino Médio da SEEDF, Fernando Wirthmann fala sobre itinerários formativos | Foto: Luis Tavares / Secretaria de Educação

Para Gustavo Pugliese, doutorando da Universidade de São Paulo (USP) que investiga o estado da arte no Movimento Steam, é importante que os professores estejam bem fundamentados. “Esta é uma oportunidade para eles conhecerem e se apropriarem [da abordagem], a fim de terem um resultado mais propositivo”, salienta.

O entusiasmo de Gustavo é compartilhado pela professora Érika Matias, do Centro Educacional (CED) 04 de Sobradinho. “Esta formação é importante, porque estamos sendo preparados para encarar o desafio que é a implantação do Novo Ensino Médio em 2020. Os alunos estão cada vez mais desafiadores e precisamos sair da nossa zona de conforto e trabalhar de outras maneiras”, enfatiza.

Além da palestra Educação Steam para o desenvolvimento de uma pedagogia do século XXI, os professores vão participar de diversas oficinas que contemplam desde a pedagogia de projetos ao uso da ferramenta Scratch. Ao término do evento, os docentes terão duas semanas para construírem em suas próprias escolas, de maneira coletiva, as unidades eletivas.

* Com informações da Secretaria de Educação

Outras matérias

BSB: Grupo usa caixas de leite para isolar paredes de barracos contra o frio

Projeto batizado de Paredes do Bem é coordenado por voluntários do Senado Federal e vai entregar placas térmicas para aquecer moradias no DF. Estamos no período de inverno e o Distrito Federal tem registrado dias gelados desde o início do mês de junho. Nas áreas mais vulneráveis da capital da República, muitas famílias vivem em condições […]

Arte: Faculdade de Artes Dulcina de Moraes apresenta espetáculo online “Não é preciso ser feliz para recomeçar”

Não é preciso ser feliz para recomeçar, de Fernando Guimarães Considerações sobre uma epidemia Em média-metragem resultado de uma pesquisa das linguagens literária, dramatúrgica e cinematográfica, o novo trabalho do diretor Fernando Guimarães traz para a Mostra Dulcina personagens que relatam histórias de isolamento “Sei que o homem é capaz de grandes ações. Mas se […]