Em Abu Dhabi, Bolsonaro assiste jiu-jítsu e visita mesquita

A apresentação de jiu-jítsu aconteceu logo após almoço oferecido pelo príncipe herdeiro ao presidente e seus acompanhantes

Em Abu Dhabi, Bolsonaro assiste jiu-jítsu e visita mesquita
 A apresentação de jiu-jítsu aconteceu logo após almoço oferecido pelo príncipe herdeiro ao presidente e seus acompanhantes, entre eles os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.

Antes, as autoridades participaram de uma reunião bilateral na qual Bolsonaro defendeu que o Brasil “tem muito a oferecer” aos Emirados Árabes e possui interesse em receber investimento externo. “Tenho certeza que o Brasil ama vocês”, disse Bolsonaro ao final do encontro com o príncipe herdeiro.

Mais cedo, durante congresso entre Brasil e Emirados Árabes, Bolsonaro também falou sobre o coração ao se referir aos negócios. “Meus amigos, meus irmãos, está aqui um homem com o coração aberto estendendo a mão aos senhores pedindo que confiem em nosso País”, disse a uma plateia com cerca de 500 pessoas.

Ao retornar ao luxuoso hotel Emirates Palace, o presidente aproveitou para tomar um banho de mar em uma praia privativa. Sábado à noite, como tem sido hábito durante a viagem, o presidente dispensou restaurantes com comidas típicas da região e foi a um shopping comer hambúrguer e tomar sorvete.

Para a visita de Bolsonaro, a cidade de Abu Dhabi possui bandeiras do Brasil e dos Emirados Árabes espalhadas pelas principais vias próximas ao palácio presidencial. Também há uma grande bandeira brasileira exposta em um painel digital de um dos maiores prédios da capital.

Atos

Uma das medidas assinadas neste domingo prevê a intenção de criar um fundo para a expansão da capacidade produtiva do setor de defesa. Sábado, Bolsonaro já havia defendido a importância de haver uma cooperação entre os países relacionado a armamentos.

Neste domingo, ele usou a Amazônia para justificar a necessidade de equipar as Forças Armas. “Nossa Amazônia bem demonstra que muita gente tem interesse nela”, disse algumas semanas após a crise internacional sobre o aumento de queimadas na floresta.

Os dois países também assinaram outro memorando de entendimento justamente sobre a conservação da biodiversidade, tema que interessa aos Emirados Árabes.

Pensando nisso, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, defendeu a empresários e investidores emiráticos que o Brasil produz com sustentabilidade e protege as suas florestas. “Não há nenhum país que proteja suas florestas como o Brasil”, declarou.

A principal medida assinada na visita é um acordo de assistência mútua em matéria aduaneira entre Brasil e Emirados Árabes Unidos. O ato pode reduzir a burocracia alfandegária e facilitar o comércio entre os países.

Outras matérias

17ª edição da Mostra Bring ocupa Brasília e promove acessibilidade

Mais de 20 jogos independentes serão disponibilizados para o público da cidade testar e jogar, sem parar. Evento acontece no dia 6 de dezembro. Entrada gratuita. No Distrito Federal o mercado de jogos independente já fez história. Prova disto, desde 2014 a Mostra Bring (Brasília Indie Games) coloca o público diretamente em contato com desenvolvedores […]