Auxílio emergencial é prorrogado por mais dois meses: entenda o que muda

Equipe de televisão descobre fraudes em aprovados do auxílio ...O governo brasileiro prorrogou o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 por mais dois meses no dia 30 de junho. Serão duas parcelas de R$ 600, totalizando R$ 1.200.

A informação está no decreto 10.412, publicado na edição do dia 1º do Diário Oficial da União (DOU).

A forma como as duas novas parcelas do auxílio emergencial serão pagas, entretanto, é diferente – a proposta do governo é de que sejam feitos quatro pagamentos referentes aos R$ 1.200, dois para cada parcela:

  • R$ 500 no início do mês;
  • R$ 100 no final do mês;
  • R$ 300 no início do mês;
  • R$ 300 no final do mês.

Cada parcela de R$ 600 deve ser dividida, portanto, em dois pagamentos mensais, com valores diferentes em cada mês. As três primeiras parcelas do auxílio emergencial foram feitas em um único pagamento de R$ 600.

A Caixa Econômica Federal ainda vai divulgar o calendário de pagamentos dessas duas parcelas; a estimativa é de que elas sejam pagas nos meses de julho e agosto.

O auxílio emergencial é voltado aos trabalhadores que não têm carteira assinada, especialmente aqueles que atuam na informalidade.

A principal “regra” para solicitar o auxílio é não ter um emprego formal – isto é, registrado em carteira de trabalho. Ele será pago a trabalhadores informais, desempregados e aqueles que são MEI (Micro Empreendedor Individual).

Trabalhadores por conta própria que contribuem para o INSS de forma individual ou facultativa (opcional, em outras palavras) e trabalhadores intermitentes (que prestam serviços por hora, dia ou meses para mais de um empregador) também poderão requisitar o benefício, se se encaixarem nos requisitos.

Os requisitos abaixo devem ser cumpridos por todos que pedirem o auxílio emergencial de R$ 600:

  • ter mais de 18 anos de idade (exceto mães adolescentes, que podem receber mesmo sendo menores de idade);
  • ter renda mensal de até três salários mínimos (R$ 3.135) por família;
  • ter renda mensal de até meio salário mínimo (R$ 522,50) per capita – isto é, por pessoa da família;
  • não ter recebido mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis ao longo de 2018;
  • não receber benefício previdenciário ou assistencial, exceto o Bolsa Família – aposentadoria, o benefício de prestação continuada, e seguro-desemprego, por exemplo.

O auxílio emergencial é limitado a duas pessoas da família; ou seja: por núcleo familiar, o auxílio será limitado a R$ 1.200. Existe uma exceção: mulheres que sejam mães e chefes de família poderão receber, individualmente, dois benefícios.

Lembrando que o prazo para fazer a solicitação do auxílio emergencial termina no dia 2 de julho.

Ainda tem dúvidas sobre o auxílio emergencial de R$ 600? Aqui você tira todas elas.

 Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Outras matérias

Meio Ambiente:Hospitais recebem doação de 400 mil copos descartáveis

Os hospitais públicos do Distrito Federal terão, a partir desta segunda-feira (10), 400 mil copos descartáveis para uso dos profissionais de saúde. A doação foi feita pelas empresas Copak e Suzano Celulose ao Governo do Distrito Federal (GDF). Os copos são produzidos com o Bluecup – o primeiro papel cartão brasileiro para copos. Totalmente recicláveis […]

Especialista fala sobre dificuldades comuns no aleitamento materno

A amamentação é fonte de benefícios para crianças e mães, além de ser ambientalmente segura e natural, mas há algumas dificuldades comuns entre elas no início desse processo. A coordenadora da assistência em aleitamento materno do Banco de Leite Humano (BLH) do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) […]